Parque

PARQUE MUNICIPAL AMÉRICO RENNÉ GIANNETTI – BELO HORIZONTE – BRASIL

Localizado na região central de Belo Horizonte, foi inaugurado em 26 de Setembro de 1897, antes mesmo da inauguração nova capital mineira. É o patrimônio ambiental mais antigo de Belo Horizonte e foi projetado no final do século XIX pela comissão construtora encarregada de planejar a nova capital de Minas Gerais. Possui uma área de 182 mil metros quadrados de extensa vegetação. Abriga o Teatro Francisco Nunes, Orquidário, um pequeno parque de diversões e a parte dos fundos do Palácio das Artes.

Após 111 anos de sua implantação, o parque forma hoje um ecossistema representativo com árvores centenárias e ampla diversidade de espécies. Possui diversas nascentes que abastecem três lagoas e cerca de 280 espécies de árvores exóticas e nativas, como: figueiras, jaqueiras, cipreste-calvo, flamboyant, eucalipto, sapucaia, pau-mulato e pau-rei. O espaço também abriga mais de 100 espécies de aves entre bem-te-vis, sabiás, garças, periquitos, pica-paus, sanhaços, saíras e outros animais, como gambás e micos. É um verdadeiro refúgio para a fauna silvestre.

O Parque Municipal Américo Renné Giannetti foi projetado em estilo romântico inglês, pelo arquiteto paisagista francês, Paul Villon, para ser o maior e mais bonito parque urbano da América Latina.  Antes de sua implantação, o espaço abrigava a Chácara do Sr. Guilherme Vaz de Mello, conhecida como Chácara do Sapo. O local serviu de moradia para o próprio Paul Villon e para Aarão Reis, engenheiro chefe da Comissão Construtora, encarregada de planejar e construir a nova capital de Minas Gerais. Em 1924, o governador do Estado Olegário Maciel transfere a residência oficial para o Parque Municipal, até o final de sua gestão.

O parque possuía, originalmente, uma área de 600 mil metros quadrados, A partir de 1905, inicia-se o processo de perda de espaços para construções diversas e de sua área original, o parque chega ao século XXI com apenas 182 mil metros quadrados.

Horário de Funcionamento : terça a domimgos das 6h às 18h

Located in the central region of Belo Horizonte, it was inaugurated on September 26, 1897, even before the new mining capital opening. It is the oldest environmental heritage of Belo Horizonte and was designed in the late nineteenth century. It has an area of 182 thousand square meters of extensive vegetation. It houses the Teatro Francisco Nunes, Orchid Greenhouse, a small amusement park and part of the Palácio das Artes (MInas Gerais State Arts Foundation).

After 111 years of its implementation, the park now forms a representative ecosystem with ancient trees and wide diversity of species. It has several springs that supply three ponds and about 280 species of exotic and native trees such as fig trees, jackfruit trees, cypress, bald, flamboyant, eucalyptus, Sapucaia, stick mulatto and stick king. The area also is home to over 100 species of birds from bem-te-vis, hummingbirds, herons, parakeets, woodpeckers, tanagers, tanagers and other animals such as possums and monkeys. It is a real refuge for the wildlife.

The Parque Municipal Américo Renné Giannetti was designed in a English romantic style, by the French landscape architect, Paul Villon, to be the largest and most beautiful urban park in Latin America. Before its implementation, the space belonged Mr. Guilherme Vaz de Mello, known as Chácara do Sapo. The site served as a dwelling for himself Paul Villon and Aaron Reis, chief engineer of the Construction Commission, responsible for planning and building the new capital of Minas Gerais. In 1924, the governor Olegário Maciel transfers the official residence for the Municipal Park until the end of his tenure.

The park had originally occupied an area of 600 thousand square meters From 1905, it begins the process of loss of spaces for the eal estate speculation advance in the city, the park reaches the XXI century with the size of only 182 thousand square meters.